quarta-feira, 30 de março de 2011

SOS UESPI: Wilsão não fala mais que 'é problema pequeno'

O movimento 'SOS UESPI', que uniu professores e estudantes em busca de melhorias na Universidade Estadual do Piauí e saiu às ruas de Teresina desde as 8h e só terminou por volta das 16h desta quarta-feira (30/03) entrou para a história como um dos mais bem organiados da história do ensino público superior do Piauí.

Eles queriam ser ouvidos pelo governador do estado, Wilson Martins (PSB). Com muita luta, protesto, xingamentos e insistência, conseguiram ser recebidos (em grupo) no Palácio de Karnak e apresentaram todas as suas reivindicações. O governadr deixou os manifestantes esperando por cerca de uma hora e quarenta minutos, mas recebeu. A reunião teve início às 14h e só terminou às 16h.

Antes disso, os estudantes começaram a se reunir no prédio da FACIME (Faculdade de Ciências Médicas da UESPI), no Centro de Teresina, e saíram até o Palácio de Karnak fazendo protesto. Vestidos de preto, com nariz de palhaço, cartazes e gritos de protestos, eles estavam revoltados não só com a falta de estrutura da universidade, mas também com as declarações de Wilsão, que afirmou em entrevista na terça-feira que a crise na UESPI é "coisa pequena".

PINTARAM O 'SOS UESPI'
Somente após 'lavarem' o Palácio de Karnak e pintarem o chão com um enorme "SOS UESPI" é que foram ouvidos. Wilsão recebeu apenas os seguintes manifestantes: Alessandro Ribeiro (do curso de Direito da UESPI Picos), Eduardo Costa (FACIME), Luan Matheus (Comunicação Social) e ainda os professores Lina Santana, Graça Ciriaco e Daniel Solon. O encontrou foi a portas fechadas. Demorou duas horas e em seguida Wilsão falou sobre os resultados e como pretende resolver.

O QUE DISSE WILSÃO
Logo de cara, questionado pela reportagem do 180graus, ele não quis mais falar sobre as próprias declarações de que a crise na UESPI é um "problema pequeno" e explicou que a prioridade do Governo do Estado é a estrutura física da instituição. "Não vamos fugir desse problema. Nossa prioridade é a questão estrutural. A instituição herdou uma dívida de R$ 7,7 milhões e hoje ela caiu para R$ 1 milhão. De 2010 para 2011, Ocrescimento no orçamento da Uespi, em relação ao crescimento do orçamento estadual, é significativo cresceu 40% e que tem feito um aporte maior de recurso para a universidade. O problema é que a dívida era grande e inviabilizava o funcionamento da instituição.”


GOVERNADOR NÃO QUIS DAR PRAZO
Com relação ao pagamento de salários dos professores, o governador ordem ao secretário de administração, Paulo Ivan, receber o sindicato em audiência e ver o que é possível fazer para melhorar, o vencimento da categoria em outro momento. “Nós vamos discutir em uma outra pauta". Sobre o ENEM, o governador disse que a universidade tem autonomia e que essa é uma decisão do Conselho Universitário e não de governo. “Mas, espero que seja uma decisão tomada de forma regular e democrática. Quando questionado sobre prazo para colocar em prática todas as reivindicações dos estudantes e professores, Wilson Martins apenas respondeu: "Se eu der um prazo, depois você publica que eu não cumpri". Já o reitor Carlos Alberto, disse que agora espera que os professores retornem às salas de aulas, para que o ano letivo, que deveria ter iniciado há duas semanas. “ o governador garantiu que vai realizar concurso público para preencher 200 vagas de professores e 250 vagas de técnicos. Wilson Martins tem interesse em estruturar a Uespi, vai analisar minha solicitação, mas garantiu a realização do concurso.”

180GRAUS ACOMPANHOU TUDO DO INÍCIO AO FIM
A Rede Globo enviou uma equipe para fazer a cobertura e já publicou em seu noticiário por toda esta quarta-feira, incluindo aí os informes do dia e reportagens na Globonews e programação nacional. O repórter Felipe Santana foi quem esteve fazendo a cobertura. Uma matéria deve sair ainda no Jornal Nacional e até mesmo no programa Fantástico. No Piauí, o 180graus acompanhou do início ao fim, das 8h até as 16h, com cobertura em tempo real até mesmo durante a reunião demorada de Wilsão. O movimento 'SOS UESPI' entra para a história só pelo fato de o governador ter demonstrando sua preocupação.

Edição: Allisson Paixao