terça-feira, 29 de março de 2011

Governo estuda possibilidade de ‘intervenção branca’ na Uespi

Por Jéssica Monteiro e Rômulo Maia

Após a série de manifestações e paralizações de professores e estudantes, o governo Estadual analisa a possibilidade de uma “intervenção branca” na administração da Universidade Estadual do Piauí (Uespi). A informação não é confirmada pela CCom (Coordenadoria de Comunicação Social do Governo) , mas fontes do Portal AZ, ligados ao governo, admitem a possibilidade.

O governador Wilson Martins considera que o problema da universidade é de gestão. Como o reitor Carlos Alberto é eleito pela comunidade e não pode ser exonerado do cargo, a administração do Estado estaria buscando formas de intervir indiretamente. Como isso pode acontecer ainda não está claro.

Através da assessoria de comunicação da Instituição, o reitor Carlos Alberto afirma desconhecer a possibilidade de intervenção na administração da Uespi.

Na noite desta terça-feira (29), o reitor se reunirá com o governador Wilson Martins. A pauta, informa a assessoria da Uespi, não pode ser divulgada.

Professores e estudantes são contra intervenção

Diretor do ANDES (Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior), o professor Daniel Solon afirma que a categoria é contra essa postura. Segundo ele, a classe está ciente que os problemas da Uespi dependem exclusivamente da gestão estadual. “O reitor foi eleito pela comunidade acadêmica. Portanto, nós entendemos que somente a comunidade acadêmica pode tirar ele”, informa o representante.

Breno Botelho, aluno de Comunicação Social, lembra que as manifestações da comunidade acadêmica da Uespi têm como objetivo a autonomia financeira e administrativa da Instituição. A postura do governador, de acordo com o estudante, é uma tentativa de desestruturar o movimento. “Amanhã vamos fazer um novo protesto. Novamente vamos para o Karnak tentar uma audiência e não vamos parar enquanto nossas reinvindicações não forem atendidas”, declara Botelho.

Baixo orçamento

Na segunda-feira (28), durante reunião na reitoria da Uespi com estudantes e professores, o reitor Carlos Alberto disse que o orçamento ideal para a Instituição seria de R$ 200 milhões anuais. Contudo, o Orçamento Geral do Estado aprovado para 2011 prevê somente R$ 120 milhões.

“Desse valor, a Uespi recebeu R$ 7 milhões até agora. Desses, R$ 6 milhões foram usados para honrar com a folha de pagamento dos servidores. Os cerca de R$ 900 mil restantes foram destinados para obras e pagamento de terceirizados”, afirma.

Manifestações

Os professores da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) decidiram ontem (28) por continuar com a paralização iniciada na semana passada. A categoria luta por melhores condições de trabalho.

Os alunos da Uespi estão organizando uma manifestação para amanhã (29). O protesto terá início no prédio da Facime, no início da manhã, e seguirá até o Palácio de Karnak, onde tentarão uma audiência com o governador Wilson Martins. O movimento estudantil convida todos os alunos da Universidade a participar do ato.