quarta-feira, 2 de março de 2011

Bita de Barão: mau exemplo em rede nacional

Um dos umbandistas mais conhecidos do Brasil, o maranhense Bita do Barão, participou na última quarta-feira (24) do programa Superpop, da RedeTV!, apresentado interinamente pela cantora Gil. Na matéria feita em Codó, cidade de Bita, ele foi classificado como o “pai de santos dos políticos”. Bita falou abertamente que faz trabalhos para políticos no Maranhão (coisa que todos sabíamos, mas que ele mesmo deixou agora bem claro). Ele ainda aproveitou para fazer seu “merchan” e disse que tinha a palavra certa para que seus trabalhos funcionem. O umbandista ainda falou que até hoje, nunca “bateu errado”, e tinha conseguido eleger todos que procuraram sua ajuda.

Nada contra as religiões afro-brasileiras, tenho até muito respeito e carinho pelo candomblé, mas foi uma vergonha para o Maranhão a forma como este foi tratado no programa, que apresentou o espiritismo de forma negativa e prejudicial aos que seguem esta vertente religiosa de uma forma limpa, pacífica e ética. O Maranhão ainda foi tratado como “ terra de macumba”, de forma pejorativa. Além de colocar o candomblé como uma coisa maléfica, o programa ainda deu a entender que realmente as “magias” tem um poder muito grande, atribuindo a vitória de políticos no Maranhão ao “trabalho” de Bita.

Bita ainda não quis responder objetivamente a principal pergunta do repórter Artur Veríssimo a respeito do seu não arrependimento em “ajudar” a eleger políticos que estariam sendo ruins para o Maranhão, uma vez que o estado tem um dos piores indicadores do país. Ou seja, é apenas mercenário!

A reportagem do programa, que está longe de ser um ícone de responsabilidade jornalística, foi preconceituosa e irresponsável. Bita é um umbandista famoso e o fato de ser o “pai de santo dos políticos” rende bastante para um programa sensacionalista, mas seria importante mesmo para um programa que não preza pela credibilidade jornalística mostrar o outro lado da religião que não pretende se meter em assuntos políticos, nem fazer mal a ninguém: a magia branca.

O pior é que Bita ainda teve a cara de pau de falar que a presença da imprensa nacional ajudava a retirar alguns estigmas do candomblé. Tirar como, com o mau exemplo que ele estava dá!!??? Se ele quer tirar os estigmas ruins do candomblé, que use sua influência e seu “poder” para ajudar a quem realmente precisa não políticos, empresários e artistas que pagam bem!

Fonte: Blog do Clodoal Correia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário