segunda-feira, 10 de julho de 2017

Amazônia das Artes tem espetáculos nas praças


A performance “Não cabe mais, gente!”, do In-Próprio Coletivo (MT) vai ser apresentada nesta terça-feira (11) às 9h no Espaço Balde, em Teresina, na programação da Mostra Sesc Amazônia das Artes. A performance de dança tem duração de 80 minutos e livre para todos os públicos. 

A entrada é 1 kg de alimento não perecível que será doado ao programa Mesa Brasil Sesc. 

A performance do grupo mato-grossense também será apresentada nesta quarta-feira (12), a partir das 9h na praça Rio Branco, no centro de Teresina.

Não cabe mais, gente! é uma composição urbana realizada em espaços públicos. A partir de uma residência que propõe a troca com até 7 artistas sejam eles do teatro, da performance, da dança ou artes visuais. Consiste em estabelecer um programa de ações no interior de um invólucro plástico em que o grupo de performers tentam reelaborar o flexível espaço por meio da interação dos seus corpos. 

A cada momento é possível criar outros corpos com formas alteradas pela pressão exercida contra a estrutura. As diferentes partes dos corpos retorcidas, amassadas e achatadas permitem por sua vez percepções que formam, deformam, reformam e conformam outras dobras. 

A Mostra Sesc Amazônia das Artes segue nesta quarta-feira com programação na praça Rio Branco performance “Não cabe mais, gente!” e na praça João Luís Ferreira, com o Esquetes do circo com o grupo Vagão (PI). A apresentação começa às 9h.

Sobre In-Próprio Coletivo
O In-Próprio Coletivo aposta em uma rede de afetos como modo de fazer junto, cuja ação coletiva é disparada na fluidez do encontro, na potência das fronteiras borradas entre diferentes linguagens, nas conexões, atravessamentos e contágios possíveis dentro de uma dramaturgia tecida por meio da pluralidade de propostas e em processos compartilhados de criação. 

Surgiu em 2013, a partir do encontro entre artistas com mútua admiração e afeto, que movidos pelos nós invisíveis das influências, paixões e interesses em comum, criaram o espetáculo OraMortem. Em 2014, em meio aos desdobramentos das experimentações deste processo de criação, assim como no aprofundamento das pesquisas em performance e teatro contemporâneo, conceberam Não cabe mais, gente! Em 2014, em meio aos desdobramentos das experimentações deste processo de criação, assim como no aprofundamento das pesquisas em performance e teatro contemporâneo, conceberam Não cabe mais, gente! Em parceria com o grupo de pesquisa Artes Híbridas: intersecções, contaminações e transversalidades (ECCO-UFMT). 

A performance/composição urbana Não cabe mais, gente! Integrou a programação do Panorama Sesc de Dança (Rondonópolis – MT), Mostra Ispia na Rua (Sesc Cuiabá – MT), Mostra FolkCom (UFMT), do Encuentro Latinoamericano de investigadores/as sobre cuerpos y corporalidades (Bogotá-Colômbia) e Festival de Criatividade Urbana 100em1dia – Cidade Possível (Cuiabá).

Em 2016 o In-Próprio Coletivo circulou com o espetáculo OraMortem por mais de 30 cidades brasileiras, pelos projetos: Palco Giratório (Sesc) e circula MT (Secretaria de Estado de Cultura); e também participou do Panorama de Artes da Cena (Cuiabá – MT). Concomitante às apresentações, o coletivo ministrou a oficina “Corpo e luz: experimentação de Grafias no Espaço” e o debate com o tema “Corpo ex-posto: disparador de possibilidades” em 16 cidades do Brasil. Em 2015, o espetáculo compôs a programação do Festival de Teatro do Amazônia Matogrossense (Alta Floresta-MT), Festival de Teatro Velha Joana (Primavera do Leste MT) e Festival Palco Giratório (Rondonópolis e Cuiabá MT)

Assessoria de Comunicação 

Nenhum comentário:

Postar um comentário