sexta-feira, 16 de junho de 2017

Sesc Amazônia das Artes: dez anos de cultura e diversidade

jazzSAITEO Sesc Amazônia das Artes chega a sua décima edição em 2017 consolidado como uma das mais importantes iniciativas de circulação de manifestações artísticas fora dos grandes centros urbanos. Com o objetivo de divulgar as diferentes expressões artísticas produzidas no Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e Piauí, o projeto acontece simultaneamente nos dez estados até o fim do ano.

Em Teresina o lançamento do projeto será no próximo dia 30 de junho, às 20h, no Palácio da Música, com a apresentação do grupo piauiense Jazz no Fole.

“A Mostra vem muito intensa esse ano, fazendo um apanhado da produção artística local e também dos estados envolvidos, o que é muito positivo para todos os artistas, que têm suas produções circulando pelo país. O Amazônia das Artes fomenta a produção cultural e privilegia o público que assiste as apresentações. Para o Sesc é sempre um prazer estar envolvido em um projeto tão diverso de linguagem”, afirma Maria do Livramento Machado, coordenadora regional de cultura do Sesc Piauí.

Este ano o Amazônia das Artes promove 31 mostras de artes visuais, 81 espetáculos de artes cênicas - que contemplam dança, teatro e circo - 46 apresentações musicais, bem como exposições de 36 obras audiovisuais, 12 trabalhos literários e quatro intervenções urbanas.

Jazz no Fole

Em 2003, quando o baixista piauiense Júlio Medeiros lançou o CD “Pro Seu Domingos” em homenagem ao mestre Dominguinhos, logo depois iniciou a ideia de trabalhar em uma linha imaginária da interseção entre os ritmos brasileiros, sobretudo os nordestinos, como o baião de Gonzaga, a beleza melódica de Dominguinhos e as influências da música instrumental brasileira com os nomes de grande representantes, como Arthur Maia, Toninho Horta e Mauro Senise, até chegarem ao jazz tradicional.

Em 2014 então nasceu o novo projeto "Memória", prosseguindo na mesma linguagem musical com a sanfona no centro das músicas e ensaios e junto também nasceu o grupo Jazz no Fole, composto pelos músicos Ivan Silva na sanfona, Lívio Nascimento na guitarra e viola, Bruno Moreno na bateria e Júlio Medeiros no baixo.

Já em 2015 o Jazz no Fole realizou vários shows com o novo projeto, deixando viva a chama da eterna musicalidade do mestre Dominguinhos e também com composições próprias do grupo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário