domingo, 19 de maio de 2019

Guedes prevê enxurrada de "notícias boas" após reforma da Previdência

O ministro da Economia, Paulo Guedes, previu que haverá uma "enxurrada de notícias boas" no segundo semestre, após a aprovação da reforma da Previdência. Ele também classificou de barulho as notícias sobre o mau resultado do Produto Interno Bruto (PIB) este ano, garantindo que as expectativas vão se reverter rapidamente após a aprovação da reforma. Guedes participou hoje (17) do 91º Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic) e, entre outros acenos para o setor, disse que o governo fará um choque da energia barata, entre 30 a 60 dias, para ajudar a economia.

"O choque da energia barata, se cortar o gás pela metade do preço, permite a reindustrialização do Brasil. Hoje o gás é queimado, quando se retira o petróleo. Só a Vale está dizendo que vai investir US$ 20 bilhões nos próximos 10 anos, para fazer os gasodutos. Tem muita coisa positiva vindo por aí. Nós estamos tentando manter o foco. A bola está na marca do pênalti. Chutou a bola para dentro, vai começar uma enxurrada de notícias boas, que nós estamos preparando para o segundo semestre”, disse o ministro, que foi aplaudido pelo público do encontro, formado principalmente por representantes da indústria da construção.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia e o ministro da Economia, Paulo Guedes, participam do Encontro Nacional da Indústria da Construção - Fernando Frazão/Agência Brasil

Guedes, que subiu ao palco do evento com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), elogiou a participação do Congresso na condução da reforma da Previdência, considerada por ele como “a mãe das reformas”.

“Nós estamos muito confiantes na liderança dele [Rodrigo Maia] na Câmara dos Deputados, no apoio político que estamos recebendo lá. Rodrigo tem sido muito construtivo como presidente da Câmara. O [senador e presidente do Senado] Davi Alcolumbre [DEM-AP] também nos tem dado todo apoio. Se fizermos uma reforma de R$ 1 trilhão, nós temos potência fiscal para lançarmos um sistema de capitalização logo depois. E este sistema de capitalização bota o Brasil para crescer. A reforma da Previdência clareia os horizontes para investimentos privados, internos e externos. Na hora em que aprovar, os recursos começam a vir”, disse Guedes.

Um outro país
Guedes afirmou que a reforma será aprovada nos próximos meses e no segundo semestre já será possível perceber um “outro país”. Para o ministro, os resultados de crescimento do PIB abaixo do esperado na economia não são preocupantes, pois apenas indicam que houve um excesso de otimismo do mercado.

“O Brasil vai retomar o crescimento. Esta revisão [do crescimento do PIB] que está sendo feita para baixo agora não está me preocupando. Mercado financeiro é meio excitado mesmo. Isso é coisa menor. É som de batalha. É tiro para cá, tiro para lá, mas o que interessa é a marcha principal do evento. Os Poderes estão alinhados, o Congresso e o Executivo falando a mesma língua, do ponto de vista econômico. Aqui é uma barulheira na superfície, mas no mais profundo é um processo saudável, construtivo. É a dinâmica de uma sociedade aberta. Estou super confiante no Brasil”, disse o ministro.

Fonte: Agência Brasil

Mão Santa usa redes sociais para confirmar filiação ao Democratas

Resultado de imagem para Mão SantaO prefeito de Parnaíba, Mão Santa, usou as redes sociais para anunciar que irá se filiar ao Democratas. Ele era filiado ao Solidariedades, mas deixou a sigla após desentendimentos com o ex-deputado, Dr. Pessoa (sem partido), que era presidente da sigla.

O atual presidente do Solidariedade, deputado Evaldo Gomes, chegou a convidar Mão Santa para retornar ao partido, sem êxito. O prefeito preferiu aceitar convite do ex-deputado Heráclito Fortes para se filiar ao Democratas. 

“Com alegria comunico nossa filiação ao @democratas25. Agradeço o apoio do amigo @heraclitofortes”, disse. 

Governo vai defender reforma enviada ao Congresso, diz Otávio do Rêgo

Otávio do Rêgo BarrosO porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, afirmou nesta sexta-feira, 17, que o governo vai continuar defendendo integralmente a proposta de reforma da Previdência enviada ao Congresso. Mais cedo, um grupo de deputados, incluindo o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), decidiu apresentar um novo projeto de reforma da Previdência, abandonando o texto enviado em fevereiro pelo Executivo.

"Retomamos o posicionamento. A proposta que foi enviada ao Congresso é a proposta que nós entendemos como a melhor. O presidente compreende e, por diversas vezes já vos falou entender que o Congresso Nacional fará o seu melhor trabalho para entregar à sociedade essa questão previdenciária, que hoje quase inviabiliza a manutenção da administração federal e de outros poderes", disse.

Segundo o presidente da Comissão Especial da Câmara que analisa a reforma da Previdência, deputado Marcelo Ramos (PR-AM), a decisão foi tomada na quinta-feira em reunião na casa de Maia, da qual participaram líderes de partidos do grupo conhecido como Centrão.

De acordo com Ramos, a decisão tem conotação basicamente política, levando em consideração a relação completamente desgastada entre o Legislativo e o Executivo. "Este é um governo que desconsidera completamente o Parlamento", afirmou.

Petrobras

Rêgo Barros também afirmou que Bolsonaro não pretende atuar pessoalmente na definição de preços da Petrobras. "O presidente reafirma a importância que atribui às decisões administrativas da Petrobras no que se refere a essas questões de controle de preço", disse.

Nesta quinta, Bolsonaro afirmou que poderia rever a política de preços da estatal "se não houver prejuízos" para a empresa. "O que ele falou ontem é em tese uma possibilidade de encontrarmos uma solução para um combustível mais barato. Não tem nenhum interesse do presidente e ele já demonstrou isso em momentos anteriores de não incidir com decisões pessoais sobre a administração da empresa", disse Rêgo Barros.

Comerciantes do Calçadão da Marechal Deodoro querem padronização de barracas

No início da noite desta quinta-feira (16), a pedido dos vendedores ambulantes do Calçadão da Marechal Deodoro, no Centro da cidade, o vereador e líder do governo municipal na Câmara, Carlson Pessoa (PPS), participou de uma reunião entre os vendedores e o prefeito Mão Santa.

Os trabalhadores levaram algumas demandas ao prefeito como o pedido de revisão do Projeto de Reordenação das Barracas que visa padronizar as bancas. O prefeito se colocou à disposição da categoria e garantiu que eles não serão retirados do Calçadão sem antes haver um local digno e com o mesmo potencial de vendas.

No Calçadão da Marechal Deodoro existem 36 bancas de comércios variados como eletrônicos, utilidades para o lar, brinquedos e confecções.
Blog do Pessoa

G.L.L CONSTRUÇÕES

HOMENS DA G.L.L CONSTRUÇÃO TRABALHA  INTENSIVAMENTE PARA ENTREGAR SUA OBRA.
EMPRESA G.L.L CUMPRE PRAZOS E SERVIÇOS DE QUALIDADE!

SUPORTE DA EMPRESA EXCELENTE E COM RÁPIDO ATENDIMENTO.

TRABALHAMOS COM ALUGUEL DE MAQUINAS, PÁ ESCAVADEIRA, CAMINHÕES, CAÇAMBAS, LOCAÇÃO DE AUTOMÓVEIS E OUTROS | FONES (086) 3367-9023 - 3367-9007- 9 9983-6921 - 9 9478-5755

Equatorial Energia e TJ-PI disponibilizam espaço para negociação

Na próxima segunda-feira, dia 20, clientes da distribuidora de energia do Piauí poderão dialogar e negociar débitos durante o 1º Balcão de Negociação, encontro realizado pela empresa e em parceria com o Poder Judiciário, por meio do Núcleo Permanente de Solução de Conflitos (Nupemec) e os Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc). O evento seguirá até a próxima sexta-feira, dia 24, de 8 às 12h e de 14 às 16h.

Trata-se de mais uma parceria com o Poder Judiciário, a pedido da concessionária, a fim de solucionar, de forma justa para todos, as ações judiciais em que a Distribuidora consta como parte, reforçando o perfil conciliatório e a dedicação ao cliente, valores fundamentais do Grupo Equatorial Energia.

Os clientes terão à sua disposição doze salas para as audiências de mediação e conciliação, de modo que tanto cliente como a empresa tenham seus processos resolvidos de maneira consensual, ou seja, bom para os dois lados. Nas audiências de mediação e conciliação, a autoridade judiciária atua como um auxiliador para que as pessoas em conflito cheguem num entendimento.

Em vez de um longo processo, concluindo com uma sentença que dá causa a uma parte contra outra, as demandas são resolvidas através de um acordo prático, consciente, em que ambas saem satisfeitas. A expectativa dos organizadores é que sejam fechados 547 acordos desta natureza.

Os consumidores partes nos processos relacionados neste mutirão já foram notificados por meio do Diário da Justiça e de cartas-convite, enviadas para suas residências, informando data e hora de sua respectiva audiência. Marcar presença é indispensável, pois as vantagens são muitas. “É uma oportunidade de encerrar os processos com condições flexíveis de negociação, reduzindo custos e reequilibrando a relação cliente-empresa”, afirma Fabianni Serra, Executiva Jurídica da Equatorial Energia- Cepisa.

Quem tem alguma questão na Justiça com a Equatorial Energia- Cepisa e por acaso não ficou sabendo do mutirão, deve procurar o Cejusc e verificar se o seu processo está na programação. Caso contrário, é aguardar a realização de um próximo balcão de negociação. “Nossa parceria com o Nupemec e os Cejusc de 1º e 2º graus deve ser recorrente, e é nossa intenção que outros mutirões como esse aconteçam periodicamente”, conclui Fabianni.

Ainda durante o balcão, a Equatorial Energia vai oferecer aos consumidores que têm NIS – Número da Identificação Social e o Cadastro Único (CadÚnico) e ainda não são beneficiados a oportunidade de se inscreverem na Tarifa Social. Cadastrando-se no banco de dados da distribuidora, o cliente baixa renda pode receber um abatimento de até 65% na conta de energia.

1º Balcão de Negociação de Dívidas- Equatorial Energia/TJ-PI
QUANDO? De 20 a 24.05.2019, das 8 às 12h e das 14 às 16h.
ONDE? Cejusc II, na Rua Coelho Rodrigues, 954, 2º andar, próximo à Praça da Bandeira, centro de Teresina.

Edição: Jornal da Parnaíba

Secretaria de Justiça chegou a pagar R$ 5 milhões para empresa com "contabilidade fictícia"

Daniel Oliveira, ex-secretário de Justiça. Ele diz que as irregularidades apontadas em relatório técnico não são de competência de análise da Secretaria de JustiçaA empresa apontada como que tendo fortes indícios de "contabilidade fictícia", a Rio Poti Distribuidora de Material de Limpeza,  chegou a receber da Secretaria de Justiça, nos anos de 2016 e 2017, cifra superior a R$ 5 milhões.

No primeiro ano, a pasta pagara R$ 2.568.800,44 e em 2017, a empresa recebeu R$ 2.500.566,44, totalizando R$ 5.069.366,88.

O fato de ter somente uma cominhoneta e uma funcionária, além dos baixíssimos gastos para um empresa desse porte, fez com que o Ministério Público de Contas (MPC) suspeitasse ser a Rio Poti uma empresa com "contabilidade fictícia", que não deveria está movimentando vultosas quantias em dinheiro, já que não teria estrutura. 

Por isso, o MPC pediu fosse abertura uma auditoria para investigar a situação. 

Nesta sexta-feira, o Blog Bastidores, do 180, havia noticiado que o valor recebido pela Rio Poti, por parte da SEJUS, era da ordem de somente R$ 2,5 milhões. Mas isso só em 2017.

Em 2016, a mesma empresa também foi agraciada com valores vultosos pela pasta.

Várias prefeituras e até um hospital, o Hospital Estadual Norberto Moura, chegaram a pagar por serviços da empresa, de modo que o faturamento da Rio Poti nos dois anos chegou à cifra de R$ 5.743.032,36.
Veja quem pagou a empresa Rio Poti
Embora o então secretário de Justiça Daniel Oliveira tenha dito em sua defesa perante o Tribunal de Contas do Estado que as supostas irregularidades apontadas em relatório técnico não são de competência de análise da Secretaria de Justiça, órgão técnico da Casa e até o MPC acreditam que é da responsabilidade do então gestor sim, até porque era ele quem estava à frente da pasta. 

"Por oportuno, a DFAE destaca que a falha é de responsabilidade do Sr. Daniel Carvalho Oliveira Valente, do Sr. Raimundo Nonato Dourado Filho (Pregoeiro) e do Sr. Raimundo Carvalho dos Santos (Sócio Administrador)", enfatiza o MPC.

Em outra frente da manifestação do MPC, há a constatação de que a empresa em questão é "uma empresa com forte dependência das contratação estatais em seu faturamento, as quais cresceram significativamente nos exercícios seguintes".

"Diante do exposto, o Ministério Público de Contas compartilha com o entendimento preconizado pela DFAE ao passo que reforça as ocorrências apontadas  acerca constituem indícios de que as licitações públicas da SEJUS não estão sendo conduzidas com o esmero devido quanto à análise dos requisitos de habilitação dos licitantes", pontua.

"A habilitação de licitantes sem a análise adequada das informações dos concorrentes permite a contratação de empresas  sem  capacidade operacional  para a consecução do objeto proposto e consequentemente prejuízo ao erário", acrescenta.

O caso está na pauta do Tribunal de Contas do Estado.
Fonte: Por Rômulo Rocha - Do Blog Bastidores - 180 Graus

Homem morre em grave acidente entre carro e caminhão na BR 343 em Campo Maior

Um acidente envolvendo um carro e um caminhão deixou uma pessoa morta e outra ferida na BR 343 na cidade de Campo Maior na tarde deste sábado (18), por volta de 12h07
Conforme a Polícia Rodoviária Federal do Piauí (PRF-PI), a colisão aconteceu na saída de Campo Maior, onde um veículo de modelo Fiat Palio, conduzido pela vítima, colidiu frontalmente em um caminhão de cargas na pista.

No veículo de modelo Palio havia duas pessoas, uma mulher que ficou ferida e foi levada para o Hospital Regional de Campo Maior pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e o motorista que morreu no local. O condutor do caminhão não sofreu ferimentos com o acidente.  Ainda de acordo com a PRF-PI, o trânsito no local segue parcialmente interditado e os agentes estão controlando o fluxo de veículos no local, aguardando a chegada da perícia criminal e do Instituto Médico Legal (IML). As circunstâncias do acidente serão apuradas.

Fonte: GP1/PI

Bolsonaro diz a crianças que há muitas pessoas más no Brasil, porém o bem vence o mal

O presidente Jair Bolsonaro disse a crianças que o aguardavam na porta do Palácio da Alvorada, em Brasília, neste sábado (18), que “há gente ruim no Brasil”, mas que o “bem sempre vence o mal”. Bolsonaro tirou fotos com um grupo de uma escola da capital, que fazia um passeio cívico pela cidade.

O presidente ficou cerca de 15 minutos conversando com as crianças e se deixando fotografar, mas não quis responder perguntas da imprensa sobre o texto compartilhado por ele ontem no WhatsApp que diz que o Brasil fora de conchavos é “ingovernável”.

Em tom professoral – e próximo às câmaras e profissionais da imprensa – Bolsonaro passou o recado às crianças. “Meu sonho de ser presidente é para ajudar o Brasil. Tem muita gente ruim no Brasil, sabia? Mas o bem sempre vence o mal”, afirmou. “Uma coisa muito importante é a verdade.”

Nesta manhã, Bolsonaro recebeu o general Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional, que chegou por volta de 9h40 ao palácio, onde permaneceu por menos de duas horas. Heleno chegou dirigindo o próprio carro, acompanhou a sessão de fotos do presidente e, ao ser perguntado sobre o texto compartilhado no WhatsApp, disse “nada a comentar”.

A primeira-dama, Michele Bolsonaro, também acompanhou o marido no rápido encontro com as crianças. Vestindo camisa da seleção brasileira com o número 17 e o nome Bolsonaro grafados, short e chinelo, o presidente abraçou várias crianças enquanto perguntava: “Eu sou um cara legal? Você gosta de mim?”.

Ele questionou ainda o que elas gostariam que ele fizesse para o Brasil e disse para que obedecessem “primeiro papai e mamãe” e depois as professoras “que ensinam coisas importantes, como português e tabuada”.

A maior parte do grupo era formada por crianças de 4 a 12 anos da Escola Classe do SRIA, uma escola pública de Brasília, que fazia um passeio cívico visitando pontos turísticos pela cidade. Na conversa, Bolsonaro disse que iria até a escola para hastear a bandeira e cantar o hino nacional. “Ele está querendo ir, disse que a assessora vai marcar”, relatou a vice-diretora da escola, Cárita Alessandra Sá, responsável pelas 108 crianças que foram ao local em dois ônibus.

Fonte: Estadão Conteúdo

Em ACP, MPPI requer a regularização de repasses do Fundo Estadual de Saúde aos hospitais estaduais

Imagem relacionadaO Ministério Público do Piauí, por meio da 12ª Promotoria de Justiça de Teresina, apresentou ao Poder Judiciário uma ação civil pública contra o secretário de estado da saúde do Piauí, Florentino Neto, em razão dos atrasos nos repasses do FES (Fundo Estadual de Saúde) aos hospitais estaduais. Na ação, o promotor de Justiça Eny Marcos Vieira Pontes, que responde pela 12ª PJ, expõe a situação de 11 hospitais estaduais da capital e do interior que enfrentam dificuldades por conta de irregularidades nos repasses do Fundo Estadual de Saúde.

As informações foram obtidas durante a condução de um inquérito civil público instaurado em maio do ano passado, para apurar possíveis irregularidades no financiamento do SUS (Sistema Único de Saúde) no estado, com ênfase no controle sobre o dever de gasto mínimo em saúde, conforme o previsto na Constituição Federal e na LC nº 141/2012; e para acompanhar a execução orçamentário-financeira, prestação de contas e planejamento da saúde. O objetivo principal com a investigação foi conhecer a periodicidade dos repasses da receita corrente líquida estadual ao Fundo Estadual de Saúde e os impactos negativos que os constantes atrasos ocasionam na qualidade do serviço de saúde no Piauí.
Imagem com documentos e equipamentos médicos
Em todas as unidades de saúde elencadas pelo promotor de Justiça na ação civil pública, há algum tipo de problema pela demora nos repasses de valores, como a falta de medicamentos e insumos, atraso nos pagamentos de contratos com empresas que prestam serviços aos hospitais, entre outros. Um dos casos apontados por Eny Pontes é o do Hospital Getúlio Vargas, em Teresina. De acordo com documentos encaminhados pela diretoria da unidade de saúde à 12ª Promotoria de Justiça em setembro de 2018, o HGV já encaminhou 19 ofícios solicitando à Secretaria Estadual de Saúde o repasse de diversas parcelas em atraso referentes ao Plano de Ação Rede de Urgência e Emergência (recursos oriundos da União transferidos para o estado). O primeiro ofício foi enviado em novembro de 2012.

Sobre a situação do retardamento dos repasses, o membro do Ministério Público do Piauí afirma: “O Estado do Piauí se tornou, lamentavelmente, exemplo de desserviço para com a sua população beneficiária do SUS. Muitos dos seus problemas decorrem da irregularidade de repasses de valores da Secretaria Estadual de Saúde para os hospitais, bem da como a notória falta de planejamento na execução orçamentária”, diz.

Entre os pedidos apresentados, o promotor de Justiça requer a expedição de medida liminar para que o secretário estadual de saúde regularize de imediato todos os repasses em atraso devidos pelo Fundo Estadual de Saúde aos hospitais estaduais, bem como a apresentação de estudo técnico para dimensionamento dos recursos necessários ao regular atendimento aos usuários do SUS. Por último, o representante do MPPI pede que seja estabelecida uma data fixa mensal para a realização dos repasses aos hospitais.

Edição: Blog do Pessoa com informações e imagem da Ascom/MPPI

Meteorologia confirma que chuva deve permanecer até fim de maio no Piauí

Resultado de imagem para Meteorologia confirma que chuva deve permanecer até fim de maio no PiauíAs chuvas que atingem o Piauí em maio devem permanecer até o fim deste mês devido ao fenômeno climático da Zona de Convergência Intertropical e à intensificação dos ventos no centro de alta pressão. De acordo com a meteorologista da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar), Sonia Feitosa, estão previstas que as chuvas fiquem acima da média em quase todas as regiões do Estado.

O mau tempo fez com que o acumulado de chuvas em Teresina chegasse a 100 milímetros até as primeiras horas da manhã desta sexta (17): o número equivale a 80% do que era esperado para todo o acumulado mensal que é de 116 milímetros. A meteorologista esclarece que dois sistemas climáticos estão favorecendo a ocorrência das chuvas.

“A divergência de ventos que estão ocorrendo na Amazônia favorece a vinda de umidade para o Piauí  e isso provoca chuvas, além disso,  o que vem contribuindo para os temporais ainda é o fenômeno climático da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) que atua no Atlântico”, explica Sonia Feitosa.

O registro de precipitação nesse período é alta, se comparado com a mesma época da quadra chuvosa do ano passado. “De um modo geral, as chuvas em maio  deste ano estão acima da média em quase todo território piauiense principalmente nas regiões norte do Estado e a previsão já apresenta isso, salvo na região do extremo semiárido onde as chuvas ainda estão abaixo do esperado”, pontua a especialista.

Fonte: Meio Norte

STJ tira foro privilegiado de Wellington Dias

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ), composta de 15 membros, decidiu enviar para o 1º grau, no Piauí, a ação penal contra o governador Wellington Dias sobre o rompimento da Barragem de Algodões, ocorrido há dez anos.

Com a decisão, o STJ fixou interpretação restritiva da competência originária da Corte, no sentido de que o término de um determinado mandato acarreta, por si só, a cessação do foro por prerrogativa de função, em relação a ato praticado neste intervalo.

No caso, Wellington Dias foi denunciado por crimes de dano a unidades de conservação e de poluição. O detalhe é que tais atos teriam sido cometidos em mandato anterior – a conduta seria de omissão em adotar medidas necessárias para evitar o rompimento da barragem de Algodões, ocorrido em 2009.

O STJ levou em conta que Wellington Dias foi governador entre 2003-2006 e 2007-2010 e, na sequência, foi eleito senador, antes de voltar a comandar o governo estadual.

A relatora do processo, ministra Nancy Andrighi, propôs questão de ordem sobre a possibilidade de interpretação restritiva da competência originária da Corte ser estendida a supostos crimes praticados por governador em mandatos anteriores e já findos, estando a pessoa investigada ou denunciada ocupando a função que garante a prerrogativa de foro em virtude de nova eleição para o mesmo cargo.

Para a ministra, o foro por prerrogativa de função deve observar os critérios de concomitância temporal e de pertinência temática entre a prática do fato e o exercício do cargo, pois sua finalidade é a proteção do seu legítimo exercício no interesse da sociedade.

Privilégio ilegal

Partindo deste entendimento, como a omissão supostamente criminosa de Wellington Dias ocorreu no penúltimo ano de seu segundo mandato de governador, a ministra Nancy do STJ concluiu que a manutenção do foro após o hiato (quando foi senador) e mais um mandato no Executivo “configuraria privilégio pessoal não abarcado pela garantia constitucional”.

A divergência foi inaugurada pelo ministro Raul Araújo, que defendeu a competência constitucional da Corte para a análise e processamento da denúncia: “O cometimento do suposto ato a ele imputado se deu no exercício do mandato de governador do Estado. Ele permanece governador, agora que reeleito. Temos a competência para julgá-lo.”

Na quarta-feira, 15, a ministra Laurita Vaz apresentou voto-vista seguindo a divergência, por entender que se a prerrogativa de função exige para resguardar o exercício do cargo, em caso de reeleição, consecutiva ou não, deve persistir a competência do órgão julgador, e o fato de os supostos delitos terem sido praticados em mandato anterior não tiram a prerrogativa de foro, que é a ele inerente.

O entendimento da ministra Nancy, pelo fim da prerrogativa no caso, foi seguido pelos ministros Humberto Martins, Maria Thereza, Herman Benjamin, Jorge Mussi, Og Fernandes, Luis Felipe Salomão, Mauro Campbell, Benedito Gonçalves e Felix Fischer.

Sem portabilidade

A ministra Maria Thereza ponderou que “se fosse um mandato sucessivo, sem solução de continuidade, até poderíamos amenizar o entendimento, como fez o Supremo. Mas depois que ele terminou o mandato, se elegeu senador e novamente governador. O fato de ser novamente governador não lhe dá o foro privilegiado. Não se trata de reeleição contínua”.

Por sua vez, Herman Benjamin disse que “não podemos admitir a tese de que o foro por prerrogativa de função sofre portabilidade, uma espécie de caráter ambulante”.

A tragédia de Algodões
O rompimento da Barragem de Algodões ocorreu no final da tarde de 27 de maio de 2009, no município de Cocal. As áreas atingidas pelo desastre haviam sido evacuadas poucos dias antes e as famílias estavam provisoriamente abrigadas em prédios públicos.

O retorno delas às suas casas foi autorizado pelo Governo do Estado às vésperas do rompimento, diante da garantia de técnicos de que não havia risco de rompimento da parede da barragem. As famílias retornaram e encontraram o desespero e a morte.

Fonte: Blog do B. Silva